Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Políticas de Extensão
Início do conteúdo da página

Políticas de Extensão

POLÍTICAS DE EXTENSÃO

 

A Extensão Universitária é compreendida como um processo educativo, cultural, político e científico, articulado ao ensino e à pesquisa, de forma indissociável, e que viabiliza, através de ações concretas e contínuas, a relação transformadora entre a Universidade e a sociedade, propiciando a construção de uma universidade intercultural.

A Extensão Universitária promovida pela PROEX assumirá as seguintes diretrizes e princípios:

 

1. FUNÇÃO SOCIAL DA UNIVERSIDADE, assumida através de três princípios:

- A Universidade deve ter uma função pública e suas ações de ensino, pesquisa e extensão não devem assumir conotação privada;

- A Universidade deve se posicionar no âmbito das relações de interesse e conflito da sociedade, de modo a intervir para reduzir as desigualdades sociais e reconhecer as diferenças culturais;

- A Universidade, diante da profunda difusão de uma leitura individualista de formação, deve cada vez mais interagir com movimentos sociais que publicizem o exercício formativo.

 

2. RELAÇÃO UNIVERSIDADE-SOCIEDADE valorizando suas múltiplas dimensões (ética, sociocultural, econômico-produtiva, ecológica e político-organizativa) e a diversidade regional, tanto do ponto de vista da sociedade, como da natureza.

- Uma Universidade engajada nos processos de transformação social e territorial a partir de interesses, necessidades e lutas de reconhecimento de grupos subalternos.

- “A Universidade deve participar dos movimentos sociais, priorizando ações que visem à superação da desigualdade e da exclusão social existentes no Brasil” (FORPROEX, 2012, p. 21), compreendendo as inúmeras desigualdades materiais e simbólicas.

 

3. CONSTRUÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE INTERCULTURAL:

- A Universidade, na sua práxis científica, artística e tecnológica, deve assumir os princípios da relação dialógica de saberes, de práticas de conhecimento e de ação, fortalecendo a colaboração em projetos de emancipação humana.

- A Universidade como espaço de formação intercultural e de promoção de diálogo de saberes, tendo em vista que as múltiplas formas de produção do conhecimento devem se encontrar e ser a base para os processos formativos no campo universitário, que, desse modo, deve ser o espaço da pluralidade cultural e epistemológica.

 

4. PARTICIPAÇÃO E TRANSPARÊNCIA COMO PRINCÍPIOS DE DEMOCRATIZAÇÃO E DE ORGANIZAÇÃO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA:

- A democratização da gestão deverá ser erguida nas bases de uma democracia participativa que se difere da representativa por ampliar a base de debate na tomada de decisões, levando em consideração sugestões dos diversos agentes da Universidade, de movimentos sociais, de organizações não governamentais, dentre outros, no encaminhamento dos processos acadêmicos.


 

registrado em:
Fim do conteúdo da página