Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Últimas Notícias > Mucanpa 2018 encerra com shows musicais em Marabá
Início do conteúdo da página

Mucanpa 2018 encerra com shows musicais em Marabá

  • Publicado: Segunda, 17 de Dezembro de 2018, 22h43
  • Última atualização em Segunda, 17 de Dezembro de 2018, 23h07

Show mucanpa marabá 05

A edição de 2018 da Mostra Universitária da Canção Paraense (Mucanpa), promovida pela Unifesspa, encerrou neste fim de semana com a apresentação de várias expressões artísticas. Na sexta-feira, 14 de dezembro, as atividades foram realizadas no Tapiri da Unidade 1 da Unifesspa. Depois da oficina de carimbó, com o grupo Batucada Misteriosa, as fotografias da exposição “Múltiplos Olhares do Sul e Sudeste do Pará” fizeram parte da programação. Também foi lançado ao público o livro “Os Peixes”, de Mateus Araújo. A obra, vencedora do Prêmio Proex de Literatura 2017, é composta por poemas, crônicas, micro-contos e fotografias. As narrativas são fruto das experimentações e descobertas do poeta acerca de si mesmo de suas capacidades enquanto artista e agente social por meio de viagem feita sem dinheiro pelo litoral brasileiro divulgando seu primeiro livro e conhecendo espaços de resistência e produção autossuficiente.

“Solo Desaparecido” é um curta-metragem de Beatriz Morbach exibido na Mucanpa. A diretora, que é marabaense, conversou com os espectadores ao fim da sessão sobre o processo de produção. “É um filme sobre duas mulheres que, depois de um rompimento, se encontram através de rastros nos espaços. São três personagens, cada uma com uma relação diferente com o espaço: o quarto, a cidade e a ilha. Nossa intenção é discutir os espaços do cotidiano e sua desterritorialização”. Filmado em Belém e nas ilhas de Algodoal, Cotijuba e Combu, para representar não-lugar, a obra tem apoio do Ministério da Cultura por meio do Edital de Apoio à Produção de Curta-Metragem na categoria Carmem Santos. “Eu sempre fui acostumada a trabalhar na produção, roteiro, direção de artes e ser assistente de homens. O mercado é machista e no audiovisual é muito mais. Essa foi minha primeira experiência trabalhando com mulheres e tendo homens como assistentes já que essa categoria prima pela composição da equipe por mulheres”, destacou Beatriz.

A noite de sexta terminou com o show de Charles do Arraia que tocou todos os estilos musicais e apresentou suas composições autorais. Charles que já foi integrante do grupo Fole do Arraia, tem se apresentado em Festivais de Música. “Como Charles do Arraia, de outubro para cá, tive a felicidade de ser premido em três festivais. Tenho tocado, às vezes só com o violão, outras vezes com banda, ou no trio pé de serra. São várias formações, mas como as músicas que componho são em ritmos variados, tenho prezado mais pela formação com banda que é o que fizemos aqui na Mucanpa”, disse o cantor.

 

Praça São Félix, Velha Marabá

Show mucanpa marabá 0607A Praça de São Félix, na Velha Marabá, foi o local do show de encerramento da Mucanpa, na noite de sábado, 15 de dezembro. Em Marabá foram selecionados 3 artistas, mas as apresentações de Rodrigues e Banda Ponto Alto foram canceladas por motivos particulares dos artistas.

Quem subiu no palco foi a Banda Aedo XXI em uma nova formação. Herbert, no vocal, e Art no violão, agora compõe a banda com Ronaldo na guitarra e Dudu na bateria. “A ideia da Aedo XXI é incitar. Nos refrãos das nossas músicas, tentamos incitar o senso crítico das pessoas e as atitudes delas no cotidiano. São letras atemporais de protesto, críticas à conjuntura política e tentamos de alguma forma fazer a diferença na vida das pessoas por meio das composições”, disse Herbert Maracaípe, vocalista.

Foram convidados para se apresentar na Mucanpa: Jorginho Ropha e Lanara Moreira que também participaram das Mostras nas cidades de Santana do Araguaia, Xinguara e São Félix; além das bandas de rock Raiorama e Prima Matéria, Lariza Xavier e o grupo de break dance Black Hit’s Crew. Entre o cover e as músicas autorais apresentadas, o documentário “Música Autoral em Marabá” foi exibido em primeira mão na Mucanpa.

Filme dos diretores Nelson Jean e Ricardo Tavares, o curta retrata a composição da música autoral de cinco artistas de Marabá nos seguintes gêneros: o rap, com César Oliveira, do grupo Mantra; o rock, com Tom Gonçalves – Metal; o heavy metal, com a banda Broken & Boned; e a música popular com Clauber Martins e o Zequinha, conhecido por sua atividade cultural no bairro do Cabelo Seco. A produção é resultado da Oficina de Vídeo-documentário, realizada com apoio do Sesc em novembro de 2018, com ideia original de Nelson Jean e Eduardo Batista.

Show mucanpa marabá 03A canção paraense foi exaltada também nos artistas de música regional: Clauber Martins, artista de Marabá, e o conjunto de carimbó Batucada Misteriosa. O grupo, que já é referência e o mais novo de Icoaraci, distrito de Belém (PA), faz suas apresentações na Casa Coisas de Negro e foi convidado para, além da oficina de carimbó realizada na sexta (14/12), fazer o encerrar a Mucanpa com muito carimbó. O público levou sua saia e acompanhou o ritmo da Batucada.

A Mucanpa, promovida pela Unifesspa desde 2013, por meio de sua Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (Proex), cumpre mais uma vez seu objetivo: promover e fortalecer a produção artístico-cultural em suas diversas expressões, principalmente da canção, na região Sul e Sudeste do Pará.

“A universidade precisa dialogar com todos e a cultura é uma forma de expressão dessa universidade. O fato de estarmos aqui na praça é a expressão de que precisamos dialogar, realizar a integração, que é uma coisa que a Unifesspa tenta fazer, diferente de muitas universidades no país”, destacou Evaldo Gomes Júnior, Diretor de Ação Intercultural da Proex, responsável pela execução da Mucanpa.

“Uma universidade pública e gratuita que promove uma política cultural em sentido amplo, não apenas forma profissionais, mas um espaço de livre pensar, investigação, debate, de promoção das rates, da cultura, como uma forma importante da nossa dimensão humana e das possibilidades de pensar a sociedade e um futuro diferente para nós e para a futuras gerações”, finalizou Idelma Santiago da Silva, vice-reitora da Unifesspa.

Show mucanpa marabá 06

Confira AQUI a galeria de imagens da 6ª Mucanpa. 

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página